Entre sem bater, faça de mim você.
Arranque essa dor que te fere, simplesmente em me olhar.
A certeza eu não tenho, ninguém tem!
Ouve o canto, o encanto, de cada momento em minha volta.
Não fala nada, pois palavras, seriam em vão.
Pegue minha mão e leva contigo o meu ser.
Se não quiser deixe.
Meu mundo está em sua volta, mas não tente medir.
Pois passaria o resto de sua vida e não chegaria ao fim.
A alegria pode trazer a dor, mas essa dor não ficará para sempre.
Eu arrancarei.
Não te procurei e nem você a mim.
Apenas nos encontramos.
Ou nos perdemos a nos encontrar.
A música que toca, danço com você.
Ou me deixa no salão.
No silêncio da noite busco tudo que me lembra você.
Ou esqueça as lembranças.
No sorriso, no olhar, no caminhar, no cabelo solto ao vento, nas suas curvas posso te desenhar.
Ou me apaga da sua imagem real.
Meu coração bate forte ao te encontrar.
Então não conquiste, pra não ferir depois.
Feche a porta e vá embora.
Ou entre sem bater...


Autora: Maria Almeida