Não sei porque te amo.
Esse amor lateja no meu peito sem que eu possa expressar.
Às vezes, quando te vejo, quero correr ao teu encontro,
mas vou devagar como se não sentisse a tua presença.
Queria poder dizer para todos como é grande o nosso amor,
mas este não existe.
Vem você e me diz: Como vai, amiga?
Choro, e me pergunto o por quê, o por quê dessas lágrimas.
Em minha frente vejo a resposta? Que amor é esse?
O amor é feito de sorrisos, de alegrias, planos e não de lágrimas.
Por que sofro desse jeito?
Ele me quer como amiga, não posso desperdiçar
esse amor franterno.
Deus nos ensina: "Todos nós somos irmãos".
Na mesma hora te abraço e digo: Estas lágrimas não são de tristeza,
mas sim de alegria, alegria por te ter como um grande amigo.
       
Autora: Ana Claudia Barbalho





 

PUBLICIDADE